Finalmente tive oportunidade de dar a minha voltinha vadia na “cigana”, a minha bike de BTT continua no estaleiro, melhor a roda traseira, daí a opção hoje era estrada, ainda bem!

Saí bem cedo de Vermoil, a ideia era ir ao Agroal e depois logo se veria, com as últimas chuvadas queria ver como estava a brotar esta nascente do Rio Nabão. O ritmo esse foi sempre calmo, normalmente acompanhado rola-se mais rápido, sozinho tens todo o tempo do mundo.

Chegado ao Agroal não fiquei impressionado com o caudal, pensei que tivesse muito mais água a sair, a água essa era límpida como hábito, mesmo a apetecer um mergulho, mas se de Verão é gelo, imagino agora. Foi tempo para umas fotos e seguir viagem.

A placa um pouco atrás (antes de chegar ao Agroal) a indicar “Ferreira do Zêzere” ficou-me a morder, desta forma retornei por onde tinha vindo e passados 2/3 quilómetros fiz-me a Ferreira do Zêzere, ou melhor a caminho de, não tinha em mente ir até lá. A subida logo após este cruzamento até encontrar a primeira povoação é longa, felizmente não muito íngreme, nesta zona e logo na primeira povoação tive oportunidade de tirar fotos a 2 capelas minúsculas, muito engraçadas, Portugal esconde verdadeiros monumentos um pouco por todo lado, vi de tudo, até uma brutal casa antiga tipo “senhorial” com torre e tudo, obviamente um pouco em estado mau, como grande parte destes edifícios que julgo são de grande interesse.

Quando dei por mim não fazia ideia onde estava, só sabia que estava, ali, foi então que me indicaram o caminho para a nacional 110, esta estrada liga Coimbra a Tomar julgo, a partir daqui e após percorrer poucos quilómetros nesta fiz-me em direcção a Alvaiázere, queria subir a serra pelo lado oposto que geralmente subo, faltava-me essa cereja!

Cheguei a Alvaiázere já bem empenado, mas faltava-me chegar a Vermoil, já tinha uns bons quilómetros nas pernas, a subida para sair desta vila em direcção a Ansião pela N348 foi penosa, sinceramente não sei que lado prefiro, após este mimo foi rolar em direcção a Abíul, onde apanhei um furo na roda traseira, resolvido o problema segui viagem para casa.

Foi uma boa manhã de estrada, já tinha saudades de sair por aí “alones” e sem “stresses”. Venha a próxima!

Fotos:

Strava: