Tag: gitane

Salto ao Agroal

gitane bike

Hoje e a convite do Sr. Manelito programei uma visita por estrada ao Agroal, tinha feito esta volta à uns meses, ele gostou da ideia e assim ficou decidido o destino. As previsões eram de 82Klm com uns pequenos 1500m D+.

Os primeiros passos foram rápidos, rumo a Albergaria dos Doze, junto à linha, rolava-se a bom ritmo, estávamos cientes que após Albergaria iria começar um sobe e desce, não muito duro, mas a moer. Foi assim até ao Casal dos Bernardos, após esta localidade voltou-se a rolar a bom ritmo até ao nosso destino, o Agroal. Por ser Sábado e época de imigrantes estava tudo a abarrotar, fizemos uma breve paragem para descanso e fizemo-nos de novo à estrada, rumo a Ourém.

Logo após a saída do Agroal enfrentamos a primeira grande subida do dia, nada de muito duro, mas a fazer mossa, em cada 10 metros o Manel dava-me 20 de avanço. Ficou a fazer “piscinas” no topo à minha espera, também não foi nenhuma hora…

Uma cola pelo meio num café cheio de agitação onde o dono estava à sesta na esplanada, tivemos de o acordar para nos servir a cola :). Estávamos perto do fim do mundo aqui!

O castelo de Ourém tardava a aparecer, por isso foi com dupla felicidade que o avistamos, “tava a ver que não aparecia”, dizia o Manel! Eu já o tinha pensado à muito 🙂

Saímos de Ourém logo com uma grande picada, por forma a fazer a estrada mais pelo interior e evitar o trânsito, a subida custa mas coloca-nos logo no topo, tornando o percurso após esta fase tendencialmente rolante, tirando uma ou outra “subidita”. Foi quase um sopro a chegada à Caranguejeira, faltavam cerca de 20Klms até casa. Tempo de nova Cola, um reforço com umas barras manhosas do Manel, que souberam a mel, o homem já se vinha a queixar com fome. Eu já vinha cheio dela, mas sem apetite, nem sabia que isso era possível.

Agora já sentíamos o “cheiro” a casa, faltava a maldita subida das Colmeias ao Barracão, acabou por se fazer nas calmas, pelo menos para mim, já estava a “tremer” das pernas nesta fase.

Terminei com 90Klms julgo, um bom empeno e uma volta a ter em conta, gostei 5 estrelas!

Strava:

De volta à “cigana”, por terras de Freixianda

Apesar da minha tendência cair mais sobre o btt hoje foi dia de uma volta de estrada, isso mesmo, alcatrão, muito, com bike a condizer e tudo! Do que gosto é de pedalar, seja em btt ou estrada, por isso quero ver se pego nesta um pouqinho mais….hoje até foi fixe!

A volta foi simples, já era conhecida, a ideia era um salto até à Freixianda e depois fazer a ligação a Abiúl e regressar a casa, foi isso que fiz, com muitas fotos pelo meio, completamente descontraído e sem pressas. Apercebi-me hoje da enorme quantidade de alminhas que existe pelo caminho, muitas mesmo, várias com fontes ao lado. Já em tempos e de btt fiquei com a ideia que esta zona da nossa região valoriza mais o aspecto religioso comparando por exemplo com a minha zona.

Terminei o percurso com 61 quilómetros, parece pouco mas soube a muito, tenho de dar mais oportunidades à bike de estrada…

Fiquem-se com as fotos!

Fotos:

Strava:

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén