Tag: nabão

Agroal a Alvaiázere

Finalmente tive oportunidade de dar a minha voltinha vadia na “cigana”, a minha bike de BTT continua no estaleiro, melhor a roda traseira, daí a opção hoje era estrada, ainda bem!

Saí bem cedo de Vermoil, a ideia era ir ao Agroal e depois logo se veria, com as últimas chuvadas queria ver como estava a brotar esta nascente do Rio Nabão. O ritmo esse foi sempre calmo, normalmente acompanhado rola-se mais rápido, sozinho tens todo o tempo do mundo.

Chegado ao Agroal não fiquei impressionado com o caudal, pensei que tivesse muito mais água a sair, a água essa era límpida como hábito, mesmo a apetecer um mergulho, mas se de Verão é gelo, imagino agora. Foi tempo para umas fotos e seguir viagem.

A placa um pouco atrás (antes de chegar ao Agroal) a indicar “Ferreira do Zêzere” ficou-me a morder, desta forma retornei por onde tinha vindo e passados 2/3 quilómetros fiz-me a Ferreira do Zêzere, ou melhor a caminho de, não tinha em mente ir até lá. A subida logo após este cruzamento até encontrar a primeira povoação é longa, felizmente não muito íngreme, nesta zona e logo na primeira povoação tive oportunidade de tirar fotos a 2 capelas minúsculas, muito engraçadas, Portugal esconde verdadeiros monumentos um pouco por todo lado, vi de tudo, até uma brutal casa antiga tipo “senhorial” com torre e tudo, obviamente um pouco em estado mau, como grande parte destes edifícios que julgo são de grande interesse.

Quando dei por mim não fazia ideia onde estava, só sabia que estava, ali, foi então que me indicaram o caminho para a nacional 110, esta estrada liga Coimbra a Tomar julgo, a partir daqui e após percorrer poucos quilómetros nesta fiz-me em direcção a Alvaiázere, queria subir a serra pelo lado oposto que geralmente subo, faltava-me essa cereja!

Cheguei a Alvaiázere já bem empenado, mas faltava-me chegar a Vermoil, já tinha uns bons quilómetros nas pernas, a subida para sair desta vila em direcção a Ansião pela N348 foi penosa, sinceramente não sei que lado prefiro, após este mimo foi rolar em direcção a Abíul, onde apanhei um furo na roda traseira, resolvido o problema segui viagem para casa.

Foi uma boa manhã de estrada, já tinha saudades de sair por aí “alones” e sem “stresses”. Venha a próxima!

Fotos:

Strava:

Passeio BTT trilhos do Alto Nabão

Passeio BTT trilhos do Alto Nabão

O grupo desportivo e recreativo das serras da Sabacheira presenta após um ano de intervalo o Passeio BTT trilhos do alto Nabão, este passeio terá por volta dos 30 quilómetros.
com uma organização especializada e trilhos brutais será sem duvida o passeio BTT que não vai querer perder.

Mais informações em www.bttserras.pt.am

Visita ao Espinhal

Hoje saí de fininha, na “cigana”, o destino era para ser Ansião mas pelo caminho lembrei-me de esticar um pouco a corda e ir até ao Espinhal. Para lá fiz o caminho corrente que conheço passando pelos Ramalhais, Venda do Brasil, Torre de Vale Todos e finalmente o Espinhal.

O Espinhal é uma aldeia pertencente ao concelho de Penela, aldeia bem pitoresca com inúmeros motivos de visita, desde a Igreja matriz ou a belíssima capela de Santo António do Calvário, passando pela praia fluvial da Louçainha, Pedra Ferida, enfim um sem número de razões para dar um salto até lá.

Obviamente hoje ia sem tempo para ir a todo o lado como tal restringi-me mais ao miolo da aldeia onde aproveitei para um café na pastelaria “Marujo” estabelecimento onde geralmente paro, sempre que estou de passagem.

Era tempo de regressar a casa após algumas fotos, o caminho de regresso fez-se pelo IC3 em direcção a Avelar e a ideia era mesmo vir IC8 acima até Ansião. Isto não foi possível pelo que antes da entrada para a IC8 verifiquei que era interdito esta zona a “bikes”. No cruzamento à procura de alternativas pedi indicações a um camionista que ali apareceu, logo me indicou uma alternativa até Ansião, foi o caminho que tomei, esta ligação secundária apresentou umas belas picadas pelo meio.

Chegado a Ansião e ainda sem levar com um pingo de água em cima foi então altura de levar com ela toda, até à aldeia do Mogadouro nas margens do rio Nabão “comi” com ela toda. Daqui até casa céu quase limpo! Não deu tempo foi para enxugar 😉

Fotos:

Strava:

Visita ao Rio Nabão

Este fim-de-semana como habitual, no Sábado, juntei-me à tarde com o pessoal do BTTralhos. Desta vez e na hora decidiu-se ir por btt até à nascente do Rio Tordo, em Alvaiázere. A ida para lá foi feita em sentido contrário ao habitual, fomos primeiro direitos a Pombal.

Os primeiros Klm’s foram feitos muito em alcatrão, com pouco btt. A certa altura e meio perdidos, foi altura de fazer caminhos às “escuras” na zona de Alvaiázere, conclusão fomos ter de frente ao Rio Nabão. A partir daqui fizémos rio abaixo pela margem, em direcção a casa. Esperava fazer caminho de casa em direcção a Santa Catarina, mas decidiram ir direitos a Abiúl, assim, foi um regresso a meu ver um pouco mais duro com um sobe e desce constante, mas fez-se!

Normalmente as voltas de Sábado à tarde são programadas em relacção ao percurso a fazer,sendo que muitas vezes acabamos por passar e fazer caminhos já muito batidos por nós mesmos, situação que não me agrada muito. Desta vez e sem querer andámos um pouco à descoberta de novos percursos, assim sendo actualizou-se o “chip” com novas imagens 😉

No total fizémos cerca de 64 Klm’s, sim, continuo empenado!

Cereja em cima do bolo

Nada o faria prever mas este fim-de-semana foi cheio de pedal, mesmo…. O sábado foi passado no sitio do costume, com os suspeitos do costume os BTTralhos. Novamente e durante a tarde fizémos o nosso BTT, a ideia era visitar o rio Nabão (mais uma vez) e a missão foi cumprida, foram cerca de 52Klm’s do melhor.

Como não fiquei satisfeito de Sábado, no Domingo fui fazer um passeio organizado pelo N.A.D.A, de Albergaria dos Doze, fui de casa de bike até Albergaria. O passeio tinha 30Klm’s e era feito na totalidade por caminhos de pinhal à volta da freguesia de Albergaria, o passeio era bastante acessível, apesar de já ir meio chumbado de Sábado, fui num ritmo calmo sem garndes pressas.. Bota, mais 54Klm’s na pele!

Para terminar o fim-de-semana extra do feriado, na Segunda fui para a Lousã, “alones”, a ideia era ir fazer um track de 60Klm’s que saquei do GPSies. Nos primeiros 20Klm’s só fiz à volta de 1000 metros de acumulado! Após chegar ao ponto mais alto da serra da Lousã no Trevim, rumei em direcção ao S. António das Neves. O percurso que fiz já tinha feito no Geo-Raid da Lousã à uns anos, foi bom fazer a volta de novo, belas lembranças. Chegado à Lousã, mais 59Klm’s na pele!

Muito BTT este fim-de-semana, dormi à noite que nem um bébe!

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén