Tag: pedra da ferida

Pedra da Ferida

Ontem foi dia de passeio pedestre pela cascata da Pedra da Ferida. Esta cascata e floresta envolvente situa-se na freguesia do Espinhal.

É fácil chegar até aqui, já dentro da aldeia do Espinhal têm indicações para este lugar.

Visita ao Espinhal

Hoje saí de fininha, na “cigana”, o destino era para ser Ansião mas pelo caminho lembrei-me de esticar um pouco a corda e ir até ao Espinhal. Para lá fiz o caminho corrente que conheço passando pelos Ramalhais, Venda do Brasil, Torre de Vale Todos e finalmente o Espinhal.

O Espinhal é uma aldeia pertencente ao concelho de Penela, aldeia bem pitoresca com inúmeros motivos de visita, desde a Igreja matriz ou a belíssima capela de Santo António do Calvário, passando pela praia fluvial da Louçainha, Pedra Ferida, enfim um sem número de razões para dar um salto até lá.

Obviamente hoje ia sem tempo para ir a todo o lado como tal restringi-me mais ao miolo da aldeia onde aproveitei para um café na pastelaria “Marujo” estabelecimento onde geralmente paro, sempre que estou de passagem.

Era tempo de regressar a casa após algumas fotos, o caminho de regresso fez-se pelo IC3 em direcção a Avelar e a ideia era mesmo vir IC8 acima até Ansião. Isto não foi possível pelo que antes da entrada para a IC8 verifiquei que era interdito esta zona a “bikes”. No cruzamento à procura de alternativas pedi indicações a um camionista que ali apareceu, logo me indicou uma alternativa até Ansião, foi o caminho que tomei, esta ligação secundária apresentou umas belas picadas pelo meio.

Chegado a Ansião e ainda sem levar com um pingo de água em cima foi então altura de levar com ela toda, até à aldeia do Mogadouro nas margens do rio Nabão “comi” com ela toda. Daqui até casa céu quase limpo! Não deu tempo foi para enxugar 😉

Fotos:

Strava:

Pedra da Ferida, Espinhal, Penela

Visitar a Pedra Ferida no Espinhal para mim é sempre motivo de satisfação, ali sinto-me fora de Portugal, isolado só em conjunto com uma natureza viva, misteriosa e que flui por todo o lado. Muitos consideram que este sítio deva permanecer em segredo, pessoalmente acho que este sítio deve ser divulgado, é de um interesse enorme, deve ser preservado é certo mas ao mesmo tempo visitado.

O ponto chave desta área são as cascatas ou a cascata, mas a subida é sinuosa, traiçoeira e deve ser feita com o máximo cuidado, à medida que vais progredindo o trilho torna-se mais escorregadio e trabalhado, as escadarias são de xisto, lavadas pela água que ali se acumula por todo o lado, exige-se atenção, não aconselhável para crianças menores e irrequietas, por vezes avanças com grandes precipícios à tua beira, é necessário cautela.

Ontem e como sempre foi um bom dia para ir à Pedra Ferida!

Fotos:

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén