Tag: vila cã

Rescaldo Raid Vilaventura – Vila Cã

IMG_0614A previsão de bom tempo dada pela organização ao início da semana começou a ir literalmente água abaixo com o aproximar do evento, a previsão era de chuva intensa para Sábado e Domingo (hoje) estando a região mesmo sobre aviso amarelo.

Tendo eu feito a inscrição para o evento estava disposto a tudo, com chuva, sem chuva, muita ou pouca. Confirmou-se, quando acordei por volta das 7 horas chovia nas horas, ponderei, enchi-me de coragem e lá decidi ir, era o que desse e viesse.

Em Vila Cã por volta das 8:30 não chovia, apesar de estar bastante enublado, quando acabei de colocar o dorsal na “burra” começou a dita, envergonhada mas consistente, estava lançado o dado para a manhã, aqui a dúvida seria os 30 ou 50 quilómetros, logo se via, conforme o terreno e disposição.

Os primeiros quilómetros foram feitos por estradões envolventes a Vila Cã com direcção à Arroteia na Sicó, apesar da chuva não se formava muita lama tirando uma zona pequena aqui e acolá, volta e meia. A descida do cabaz florido debaixo de chuva aqui já mais intensa tornava-se numa aventura, exigia-se olhos bem abertos para não se correr o risco de ficar pelo caminho com um trambolhão, a pedra molhada na Sicó escorrega, escorrega mesmo, como em nenhum outro lugar!

Terminada esta fase iríamos fazer o percurso inverso pela estrada do Vale em direcção à aldeia com este mesmo nome, o reforço estava localizado logo ao início deste, após uma primeira picagem de controle, deveria ter uns 15 quilómetros feitos até aqui. Reforço bem composto com tudo o necessário à excepção dos pastéis de nata que são um mimo e um bolo caseiro 5 estrelas!

12088364_10204787951570091_3988640623096110931_n-001

E foi após o reforço que começou o verdadeiro banho de água, o trilho tornou-se basicamente num rio que subíamos, a chuva era de uma intensidade que mal se via a 50 metros de distância, ainda por cima constante, já nem me chateava, melhor nunca me chateie, mas estava a ser meio radical este Raid. A separação para o passeio fazia-se ao quilómetro 18, a chegar à aldeia, parvo como sou fui para os 50!!!! Já que era para banhos que fosse em grande.

Foi pouco após a separação que fiquei sem suspensão, deixou de trabalhar, prendeu completamente, neste terreno e com as condições que estavam decidi desistir e regressar pelo caminho mais “soft” a Vila Cã, fiquei com apenas 2 cm de curso nela e estava a fazer um barulho meio esquisito ao bater, era como se batesse em ferro no fim desses 2 cm! Vamos ver…

Se gostei? A malta desta organização é 5 estrelas, é impossível dizer que não. Se voltava? Assim que tenha suspensão 🙂

Strava:

Volta Refrescante

O aviso amarelo no distrito de Leiria para Segunda-feira prometia um dia chuvoso, ventoso e tudo o mais, no entanto, e porque tinha uma folga para hoje decidi fazer-me à bike e arriscar numa volta. Tinha acabado de sair de casa uns 20 metros e surge o primeiro problema! O meu pedal esquerdo estava completamente desapertado e a cair, estes já à muito que andavam a ameaçar e ontem deram o último berro, a solução rápida foi a substituição destes por outros que uso na bike de estrada, problema resolvido, lá fui tranquilo em direcção a Albergaria dos Doze pela estrada de Entre-Vinhas…

Não pegava numa bike há cerca de semana e meia queria experimentar o corpo mas sem grandes aventuras, decidi fazer um pouco dos “estradões” de terra de Albergaria dos Doze em direcção à Pipa, já aqui continuei por terra em direcção aos Ramalhais, nesta fase apanhei alguma chuva, daquela que molha pouco mas aborrece. Esta ligação acabou por ser “porreirinha” dado que andei um pouco em modo aventura na descoberta de novos trilhos/caminhos 🙂 acabando por passar nalguns sítios pela primeira vez, nesta zona e perto de casa começa a ser difícil isto acontecer…

Fui terminar a volta descendo ao Cabaz Florido, para quem não conhece fica à meia encosta oposta da estrada do Vale, aqui a pedra abunda e estava molhada o que me levou a fazer aquilo nas calmas para não haver trambolhões, a pedra da Sicó com chuva escorrega que se farta!

Acabei a volta com cerca de 50 quilómetros, ver se lhe consigo pegar de novo esta semana nem que seja por uma hora, no fim-de-semana vem o Raid Vilaventura onde irei participar e sinto que preciso de mais um “treininho” para a coisa.

Fotos:

Strava:

Sicó a pé

caminhada sicó vilaventura

Rescaldo XI Raid BTT Vilaventura

O dia hoje começou um pouco mais cedo para mim. Por volta da 08:20 arranquei de carro para Vila Cã para participar no XI Raid organizado pela Vilaventura. Não estou certo mas julgo que o último evento público de BTT em que participei terá sido a Maratona de Manteigas em 2012, a ansiedade hoje era alguma.

Ia proposto a fazer os 50Km, prova na qual me tinha inscrito, sentia-me bem, estava preparado para o percurso maior! Os promeiros metros do percurso foram a subir, comecei desde início a sentir o corpo a não responder tão bem como devia, a entarda nos single-tracks (bastantes) fez-me perder bastante tempo, caindo para posições finais. Cedo comecei a sofrer bastante sem reacção nas pernas, as subidadas eram para mim logo desde o início um martirio e decidi cedo optar pelo passeio de 25Km e não pelo Raid.

Acabei com uma média baixíssima que não chegou aos 10Km/h, muito fraquinho mesmo, acabei muito desiludido com a minha prestação. Acontece…

Em relacção à prova em si nada a assinalar, estou habituado a que tudo funcione na perfeição em Vila Cã, isto em termos de organização, muito bom mesmo. O percurso era duro, foi opinião geral, nos 25Klms que fiz acabei com um acumulado de cerca de 700m! No que fiz e na primeira metade do percurso havia inúmeros single-tracks, o piso estava pesado, alguma lama, mas nada de trascendente.

Espero nos próximos tempos intensificar as minhas voltas com o intuito de melhor nos eventos e não sofrer tanto como aconteceu hoje! O caminho faz-se caminhando e este é para a frente.

De 1 a 5 dou nota 1 à minha prestação, ao evento em si 5.

Nem o RedBull me safou!

Nem o RedBull me salvou!

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén